DARA - UMA JOIA RARA


 


AGENESIA DE MÃO


Uma condição física que não define uma pessoa, nem a diferencia: apenas a acompanha

Um pouco de história


Meu nome é Geane Poteriko. Sou professora da Rede Estadual de Educação do Paraná e nesta página compartilho um pouco de minha história. Acredito que muitos pais e mães passaram de certa forma por algumas das experiências que vou compartilhar aqui, e justamente por isso escrevo.

Já adianto que esta história vem se modificar totalmente com a chegada de um presente que mostrou o quanto a vida vale a pena, e como tudo o que um dia esperamos pode ser muito melhor quando recebemos. O nome deste presente: uma linda bebezinha chamada Dara. Minha joia rara.

E... Esta página foi nomeada como "Agenesia de Mão" porque parte desta história recebe uma revelação relacionada a esta condição física: Agenesia.

Como escrevo logo acima, a agenesia não pode definir uma pessoa, e muito menos é capaz de diferenciar alguém dos muitos outros. Na verdade, a agenesia acompanha uma pessoa por toda a sua vida, mas de uma forma única e especial. Diferentemente linda.

Após descobrir que eu estava grávida, minhas prioridades mudaram. Minha vida mudou. Tal como a de todas as mulheres/mães.

No entanto, o que gostaria de destacar é a mudança também trazida pela descoberta de uma condição física em minha filha que não havia sido diagnosticada durante a gestação: a agenesia de mão. Após o nascimento de Dara, os médicos viram que minha bebezinha veio ao mundo sem a mãozinha direita. Na verdade, há o início de uma mão, com uma pequena palma de mão e os dedinhos bem pequeninos, mas não é uma "mão completa".

Nessa hora, muitas coisas passam pela cabeça de uma mãe. A primeira delas: O QUE ACONTECEU? Depois: por quê? O que eu fiz de errado na gestação? O que causou esta condição? Como lidar com isso?

Perante as dúvidas, no entanto, o AMOR a esta "coisinha linda" e tão adorável que chega de forma tão abençoada permanece intacto. Mais do que isso: aumenta gradativamente. Questões como: "De que forma minha criança será tratada neste mundo que tanto aprecia as aparências?", ou "Como será seu futuro sendo diferente dos outros?" ganham destaque. O amor de mãe é permanente, incondicional, mas e a convivência social? E as "limitações"? Nesse momento, uma frase confirma que tudo é possível de uma forma totalmente inquestionável:
  

"O impossível

só existiu

até o dia que

inventaram

a superação"



Vamos agora conhecer um pouco mais sobre esta condição física.


O que é Agenesia?


 

Agenesia é a ausência completa ou parcial de um órgão e seu primórdio embriológico.

Agenesia de mão direita - Minha bebê com 1 dia de vida


Agenesia de mão direita: Nesse caso, há uma 
pequena munheca da palma da mão e "dedinhos"



A agenesia é uma condição rara. No caso de minha filha, foi diagnosticada apenas após o nascimento. A causa é o que se conhece como "Síndrome da Brida Amniótica", que em inglês é chamada de ABS (Amniotic Band Syndrome), que ocorre em 1 a cada 1500 nascimentos.

Uma condição rara, mas linda aos olhos de todas as mães... 
e de Deus.


"... mesmo ali a tua mão direita me guiará e me sustentará."


(Salmos 139:10)




HISTÓRIA DO NASCIMENTO DE DARA

 

Minha filha nasceu dia 12/12/13, no município de Ivaiporã, PR.
Uma menininha forte e saudável.

Nasceu com 3kg e 700gr, e 49cm de tamanho.


Ecografia em 20/11/2013 (Parto cesárea foi em 12/12/2013) 

Dara nasceu uma bebezinha calma, que dormia e mamava bem, chorava pouco.
Adorável! A amamentação foi tranquila. Ao elaborar este material, Dara estava com 4 meses e meio, pesando 7 quilos e 100 gramas. Muito saudável!

Sobre o parto, a cesária foi tranquila, tudo correu bem. Lembro-me como se fosse hoje: na data anterior ao parto, fiz o internamento na maternidade, e no dia seguinte, no horário agendado, fui levada ao centro cirúrgico. Eu estava nervosa, afinal, nunca tinha passado por esta situação antes.

O pediatra que acompanhava a cesárea começou a conversar comigo, em uma tentativa de me acalmar. Perguntou qual seria o nome da bebê, eu respondi: DARA.

Logo surgiu o questionamento:
"Por que esse nome? Qual o significado?"

Expliquei que o nome foi escolhido pelo pai, significa "Coração da Sabedoria" e vem com a conotação de "dar a luz". Ou seja: Dara será uma criança iluminada, que tratá luz a toda a família.

Recordo que sorri quando o pediatra comentou que lembrou de uma música de Caetano Veloso:

Odara...

"Deixa eu cantar que é pro mundo ficar odara
Pra ficar tudo joia rara
Qualquer coisa que se sonhara
Canto e danço que dara"

Enquanto isso, a anestesia fazia efeito.
E eu pensava na expressão: "joia rara"...
Minha jóia estava chegando...

Quando ouvi o choro de minha bebê, ouvi também o pediatra dizendo ao obstetra:
"Você está vendo?".

E o obstetra disse discretamente:
"Sim".

Nesse momento, não trouxeram minha filha de imediato para eu conhecê-la, mas sim levaram-na para o outro lado da sala. Eu fiquei apreensiva e perguntei ao obstetra o que estava acontecendo. Ele respondeu que não era nada nada grave, eu não precisava me preocupar... Mas minha bebê havia nascido sem a mãozinha direita. 

Eu levei um susto. Comecei a chorar, preocupada, e pedi que a trouxessem para mim.
Primeiro ela foi examinada e depois o pediatra colocou-a ao meu lado, mostrou sua mãozinha minúscula, e levou-a novamente para outros exames.

Eu não pude segurá-la, nem beijá-la, foi tudo muito rápido. Mal pude ver seu rostinho, como eu tanto queria. 

O beijo em minha bebê só aconteceu um tempo depois, quando ela foi levada ao quarto da maternidade, para eu amamentá-la. Nesse momento, vi seu rosto pela primeira vez... Pude tocá-la, abraçá-la, e o melhor de tudo: segurá-la em meus braços. Creio que nem seja preciso eu mencionar como fiquei encantada, totalmente rendida a esta bebê tão linda! Minha joia rara, minha Dara...

Foi uma surpresa, sim, minha filha Dara nascer com agenesia na mão direita. Não foi diagnosticada na gestação. O pediatra que acompanhou o parto conversou comigo e disse que esta condição na verdade se trata de algo apenas estético, já que Dara não nasceu com nenhum problema neurológico ou de coordenação motora. Ela veio ao mundo como minha "joia rara", muito mais que especial, MINHA DARA...

A grande surpresa, para o obstetra, foi porque a agenesia não apareceu no exame morfológico, que foi feito na gestação com 20 semanas, nem mesmo nas ecografias que realizei durante todo o pré-natal.

Da minha parte, fiz o pré natal bem certinho. As primeiras consultas e vacinas foram feitas no Posto de Saúde de Colombo (SUS), continuei pelo plano de Saúde do professor (SAS) no Hospital da Cruz Vermelha, em Curitiba. A partir daí, decidi que assim como eu, minha filha seria uma autêntica "pé vermelho", nascida no interior do Paraná, e desse modo, a partir do 8. mês de gestação, transferi o pré-natal para Ivaiporã. Portanto, eu fui em todas as consultas mensais e tive o acompanhamento regular na gravidez. 

No último mês, o acompanhamento do pré-natal foi semanal, com ecografias em todas as visitas ao obstetra. Assim, ficou a dúvida: o que aconteceu e por que a agenesia não foi diagnosticada na gestação? É uma pergunta desafiadora.

Consegui descobrir o que aconteceu: a causa foi a Síndrome da Brida Amniótica, segundo os médicos que acompanharam minha bebê nos seus primeiros meses de vida, mas o motivo de não ter sido descoberta na gestação ainda é uma incógnita. Mais precisamente, uma falha... penso eu.

Abaixo, compartilho uma imagem especial:
Esta ecografia foi a que definiu o sexo da minha bebezinha.
Até então, outros dois exames sugeriram que Dara seria um "menino"   :-)



Portanto, como o pré natal foi feito adequadamente, tanto eu quanto os médicos que participaram da minha cesariana ficaram realmente surpresos pela agenesia não ter sido detectada durante a gravidez, nem mesmo no EXAME MORFOLÓGICO. 

Após o parto, assim que eu fui levada ao quarto na Maternidade, muitas dúvidas permaneciam. Eu questionei aos médicos qual seria o motivo da agenesia, ressaltei que eu não havia tomado nenhum tipo de medicação, a não ser a que os obstetras e médicos que me atenderam durante a gestação receitaram. Além disso, considero-me uma pessoa saudável - não fumo, não bebo e também não uso drogas.

Por quê? Seria eu a culpada pelo que aconteceu? Eu precisava de respostas.

Assim, nesse momento obtive alguns esclarecimentos: fui informada sobre as má formações resultantes das chamadas "bridas amnióticas", causadas por um processo que impede o normal desenvolvimento de uma extremidade, sendo que os mais atingidos são os dedos e a mão.

Pesquisei a respeito e li que estas bandas são resultado de "um processo cicatricial da membrana amniótica, que envolve o feto, contém e separa (segrega) o liquido amniótico onde ele vive". O pediatra que acompanhou o parto da Dara disse que esta seria uma possibilidade, mas algo melhor definia o caso de minha bebê: a vontade de Deus. Ouvir uma expressão de fé sendo colocada por um médico levou-me à algumas reflexões. Deus concedeu-me a graça de ser mãe de uma criança especial e única como Dara. Então cabe a mim receber esta graça com todo o amor que ela merece - incondicional, acima de qualquer dúvida e questionamento.

Para tudo o que acontece, a vontade divina é o fator determinante!


EXAME MORFOLÓGICO


 

Uma grande dúvida é por que a agenesia de minha filha não foi diagnosticada durante o exame morfológico.

Primeiramente, é importante especificar o que é este exame. 

Segundo o site da BabyCenter: "O ultrassom morfológico é um exame de rotina feito normalmente entre 18 e 20 semanas de gravidez, e que serve para avaliar o desenvolvimento do bebê com bastante detalhe, incluindo os órgãos internos." (http://brasil.babycenter.com)

Portanto, o exame que avalia de forma mais completa a anatomia do bebê é o exame morfológico. Durante os exames morfológicos de 1º. e 2º. trimestre, o médico poderá avaliar de forma detalhada a formação do bebê. O objetivo é fazer uma "Avaliação pormenorizada da Anatomia Fetal e marcadores para doenças genéticas, Biometria fetal complementar e descrição detalhada de toda a morfologia do feto".

A imagem abaixo mostra a visualização de uma mão durante o exame morfológico.

Após estes esclarecimentos, compartilho as informações do
            ultrassom morfológico de minha gestação:









- ATENÇÃO: "Pés e mãos identificados bilateralmente e em posições habituais"





RESUMINDO: Minha bebê Dara nasceu com agenesia na mão direita causada por BRIDA AMNIÓTICA.

A agenesia não apareceu nos exames durante a gravidez, nem mesmo no ULTRASSOM MORFOLÓGICO. Minha bebê possui a munheca e a palma da mão pequenina, mas os dedinhos não cresceram. Gostaria de encontrar um especialista (ortopedista) para fazer um acompanhamento apropriado, assim como uma avaliação óssea nela. Há possibilidades de no futuro ela utilizar prótese, ou até mesmo uma mão biônica, feita em impressora 3D, no entanto esta não será uma decisão minha - de mãe. Trata-se de uma escolha pessoal. Tudo vai depender da vontade de minha filha.

A mão direita de Dara é diferente, sim, mas também unicamente especial.   

Lembrando que...

"A deficiência está nos olhos de quem vê" 



A agenesia é, para mim, nada além de uma questão estética, não considero uma "deficiência". Mas, aos olhos da sociedade, tudo o que não é convencional, o que é diferente, se destaca. Meu amor de mãe não enxerga isso. Vejo apenas uma bebê linda e saudável, uma criança meiga e esperta. Minha joia rara - Dara. O maior presente que eu poderia ter recebido de Deus.

No papel de "mãe", penso que devemos procurar os melhores recursos e possibilidades a um(a) filho(a). Por isso, compartilho aqui um pouco de minha história, a fim de conhecer outras histórias semelhantes, trocar ideias e experiências, e juntamente a isso buscar novas perspectivas para Dara.



"A agenesia está no seu filho,
mas ela não é a identidade dele"

(Alessanra Rigazzo)


 

Esta é minha linda "Dara"


- 12/12/2013 - O primeiro dia de vida de Dara

- 12/12/2013 - Dara recém-nascida: primeiro momento após o banho


- 12/12/2013 - Dara no hospital


- 17/12/2013 - Dara com 5 dias de vida, banho em casa



- 18/12/2013 - Dara com 6 dias de vida, foto antes do Batismo


- 19/01/2014 - Dara com 1 mês e 7 dias


- 04/02/2014 - Dara com 2 meses e 24 dias


 - 26/02/2014 - Dara com 2 meses e 14 dias

- 26/02/2014 - Mais uma...Dara aos 2 meses e 14 dias



- 12/03/2014 - Dara no frioooo de Curitiba, 3 meses


- 10/04/2014 - Primeiro chá: Dara com quase 4 meses



- 31/03/2014 - Repleta de alegria e muita fofura... 
Assim é Dara!



LAUDO MÉDICO E RAIO-X



  • AGENESIA DE MÃO 

Laudo do Hospital Menino Deus
(Curitiba, Paraná)


Raio X – Recebido em 14/03 – Hospital Menino Deus (Alto da XV, Curitiba, PR) 




Primeiro Exame de Raio-x




As imagens mostram a mão direita de Dara sendo segurada na posição vertical (foto 1),
horizontal (foto 2) e diagonal (foto 3). Ausência da formação da mão direita.


UMA REFLEXÃO:


Seria esta condição um tipo de "deficiência"? Não considero desta maneira.

A sociedade, as pessoas em geral, apresentam tantas outras deficiências que,
ao contrário de uma condição física, de nascença, não podem ser modificadas,
ou simplesmente bem aceitas. Refiro-me às DEFICIÊNCIAS de caráter, de ética
de personalidadeEstas sim merecem atenção, pois precisam ser corrigidas, 
não podem permanecer INTACTAS em meio às EFICIÊNCIAS que as pessoas
que possuem diferenças físicas têm a oferecer...

Diferenças são bem-vindas!

Geane Poteriko
(Mãe de Dara)


 

"Deficiente" é aquele que não consegue

modificar sua vida, aceitando as imposições

de outras pessoas e da sociedade em que vive,

sem ter consciência de que é dono de seu destino"


(Ghandi)


 


HISTÓRICO DA GESTAÇÃO

 

Alguns dados de consultas emergenciais e do pré-natal

 

INFORMAÇÕES  DOS PRONTUÁRIOS


Prontuários Médicos da Maternidade do Maracanã
(Colombo, Paraná)

Data: 09/07/2013 – Horário: 15:34h - SUS
Médico: Márcio José de Souza Almeida
(Ginecologia e Obstetrícia – CRM 15594-PR)
16,1 semanas (+ -) – PA 100/60
Diagnóstico: Constipação + Enxaqueca.

Data: 14/06/2013 – Horário: 16:21h - SUS
Médico: José Sebastião da Silva Neto
(Ginecologia e Obstetrícia – CRM 11029-PR)
Motivo do atendimento: Desmaio com queda, dor lombar.
17 semanas (+ -) – PA 110/60
Diagnóstico: Dor lombar.

Data: 18/06/2013 – Horário: 16:25h - SUS
Médico: Márcio José de Souza Almeida
(Ginecologia e Obstetrícia – CRM 15594-PR)
Motivo do atendimento: Diarreia e vômitos.
Procedimento: Consulta + medicação
(Paciente ficou em observação)
17,5 semanas (+ -) – PA 90/70
Diagnóstico: Dor lombar.

Data: 26/06/2013 – Horário: 11:11h - SUS
Médico: Ana Cláudia Afonso Ramos
(Ginecologia – CRM 219010)
Motivo do atendimento: Pressão Baixa, desmaio.
18,5 semanas (+ -) – PA 90/60

Data: 30/07/2013 – Horário: 10:30h - SUS
Médico: Narciso Rizzo Junior
(Ginecologia – CRM 14214)
Motivo do atendimento: Gripe e febre.
19,1 semanas (+ -) – PA 112/80







Prontuário do Posto de Saúde do Santa Tereza (SUS)

FICHA GERAL DE ATENDIMENTO

14/06/2013 – 30sem – PA: 100/60
D.V.M. 15/02/2013
BHCG+ - 06/06/2013

“Gravidez não planejada, fazendo uso de anticoncepcional via oral, engravidou. (...) Orientada sobre vacina e exame preventivo, relata que foi encaminhada para a Maternidade de Colombo devido a uma queda sofrida. Orientada a agendar consulta pré natal diretamente na Maternidade, até ter agendamento.” 

10/07/2013 – 1ª Consulta na Unidade de Saúde com o médico.
30 semanas – PA: 110/60
Peso: 90kg
Anotações: Paciente queixa-se de dor lombar (devido à queda) e constipação.





O acompanhamento do Pré-Natal, após as consultas em Colombo e Curitiba, teve continuidade em Ivaiporã.

As consultas mensais foram feitas com exatidão, assim como as ecografias e demais exames.

Todos os dados foram registrados na minha Ficha da Gestante.
O parto ocorreu na Maternidade de Ivaiporã, em 12/12/13.

O que pode ter acontecido? Qual a causa da agenesia?

Muitos médicos afirmam que estudos estão sendo feitos,
mas não há definição de causas para bridas amnióticas.

Não é hereditário. Não passa para uma outra gestação.
A porcentagem é de 1 em cada 1500 nascimentos.

Minha bebê pode estar dentro destas estatísticas,
mas de uma coisa eu tenho certeza absoluta:

                Ela é minha joia rara - DARA


  
Ressalto que esta página é apenas o resultado de minhas reflexões enquanto mãe de uma criança que nasceu com uma condição rara.

Gostaria de destacar, por fim, que devem ser muitos os pais e mães que possuem as mesmas experiências, compartilham algumas opiniões e também buscam novas oportunidades a seus filhos e filhas que nasceram com agenesia, ou outras síndromes e/ou doenças congênitas.

Infelizmente, pouco se fala sobre agenesia, e praticamente nada sobre Síndrome da Brida Amniótica. Antes de minha filha nascer, eu nunca tinha ouvido nada a respeito. Acredito que muitos outros também passaram por esta situação.

Sei que com o decorrer do tempo, terei experiências maravilhosas com minha pequena Dara, penso que ela não viverá uma infância diferente das outras crianças apenas pela agenesia em sua mãozinha. Acredito que ela passará pelas mesmas alegrias, curiosidades, desafios e conquistas. E, na vida adulta, terá as mesmas oportunidades que possuem todas as outras pessoas, independente das diferenças físicas, sejas elas quais forem. 

Assim penso.

Venho mantendo contato com outras famílias e mães que compartilham a mesma experiência que a minha. É muito bom trocar experiências! Deixo aqui meu e-mail:

geane.gaps@gmail.com
FacebookGeane Poteriko.


    • Dara - Seja Bem-Vinda.
    • Sua Vida está apenas começando...
     (e nossa Luta também) 



"Somos o que fazemos,

mas somos principalmente

o que fazemos para mudar

o que somos". (E. Galeano)


E, no caso das diferenças físicas,

a mudança deve vir de dentro para fora.

Afinal, a aparência não define o que uma

pessoa é, ou pode ser...

(Geane Poteriko)


  
Abraços!

Geane Poteriko
Mãe de Dara.
Presidente da Diretoria Executiva


ASSOCIAÇÃO DAR A MÃO.

São João do Ivaí, PR.
28/04/2014


 ATUALIZAÇÕES

 

O CRESCIMENTO DE DARA

 

O tempo está passando.
Minha bebê Dara está hoje com 13 meses e vem se desenvolvendo muito bem.



Demorou a engatinhar, começou há pouco mais de uma semana, mas ela é uma bebê grande e bem desenvolvida (considerando que o pai tem 1,97 de altura e a mãe 1,73, estima-se que ela será bastante alta!).

A princípio, Dara não se equilibrava muito bem nas duas mãozinhas, depois ela entendeu “como fazer de seu jeitinho” percorrendo a casa toda, de cômodo a cômodo, bem rapidinho, se equilibrando nas duas mãozinhas. A mão direita (com agenesia) não é um problema para ela. É lindo de ver! rss  :-)

Dara nessa idade ainda não anda, mas a pediatra diz que temos que esperar o tempo dela, cada criança possui a hora exata, em seu próprio tempo.

Ela faz de tudo com as duas mãozinhas: segura objetos, brinca, bate palminhas, se movimenta bem. A agenesia não vem impondo barreiras para ela. O desenvolvimento da linguagem está adequado, ela fala muitas palavras e a cada dia aprende coisas novas.

Dara tem acompanhamento mensal com uma médica pediatra. A recomendação atual é acompanhar o crescimento ósseo, e assim fazer periodicamente exames de Raios-X para verificar se o crescimento ósseo está de acordo com a idade. Nesse momento, Dara não precisa de fisioterapia, nem de TO (Terapia Ocupacional).

Alguns momentos de uma criança completamente feliz


Sorrisos, o descobrir de um mundo novo, com novas experiências 


As brincadeiras, cochilos, "reflexões" de uma bebê


Para mim, a falta de um membro em Dara não é motivo para me sentir menos privilegiada. E muito menos para ter "vergonha". Ao contrário, vejo minha filha como uma JOIA RARA, uma preciosidade que só me traz alegrias.

Hoje entendo que duas palavras são fundamentais no dia a dia de uma família com algum tipo de diferença física: ACEITAÇÃO e ADAPTAÇÃO.

ACEITAÇÃO de que uma “deficiência física” é algo que não podemos escolher ou controlar, mas podemos amar, cuidar, orientar, ensinar.O que é um membro? É algo que tem sua funcionalidade, claro, mas neste contexto a estética e a aparência são mais predominantes... mais consideradas de uma forma geral. Para a sociedade, estética é tudo. Infelizmente.

Quando saio com Dara, as pessoas olham, perguntam, ou muitas vezes não dizem nada, mas querem dizer. Mas também percebo que a sociedade está aos poucos aprendendo a naturalidade das diferenças. Muito se tem avançado sobre isso, então enquanto mãe, preciso ACEITAR esta condição de minha Bebê para saber defendê-la, sim, quando necessário, de qualquer tipo de diferenciação ou discriminação. E também para oferecer o que tenho de melhor: os melhores recursos, as melhores possibilidades, os melhores sentimentos e ensinamentos para auxiliá-la em suas “limitações”.

Minha filha terá limitações? Dentro de suas próprias capacidades, sim, mas o que muitos médicos me disseram é que as crianças se adaptam mais facilmente do que nós, adultos.

A outra palavra: ADAPTAÇÃO.  Primeiro, na posição de mãe que não esperava esta condição em minha bebê. E também de mãe que prepara sua filha para não ter vergonha de sua diferença. Aliás, para que essa filha não se sinta diferente, mas sim especial. De uma forma maravilhosa e linda. De uma forma única...

Conforme Dara vem crescendo, tenho sentimentos gratificantes: a alegria de ter uma criança que se supera dia a dia. Que segura a mamadeira com a mão e o "toquinho" da outra mão mesmo com a agenesia, que pega seus brinquedos e se diverte sem limitações, que se esforça para engatinhar, perde o equilíbrio, mas em seguida continua sorrindo. E de repente sai engatinhando pela casa toda! Uma criança que bate palminhas sorrindo, e adora olhar as duas mãos, uma diferente da outra, cada uma com suas características. Que ouve uma música e dança, erguendo os dois braços para cima, totalmente feliz... Assim é a Dara.


A cada sorriso dela, me sinto renovada.

Ela ainda não entende sua diferença, mas já vê que uma mão não é igual à outra... e quer saber? Ela brinca com isso, olha e sorri, e vai crescer sabendo que é muito amada e que sua agenesia não lhe fará inferior ou diferente de ninguém!

Para os novos pais e mães de crianças com agenesia, deixo uma dica: conheçam outras histórias de crianças, acompanhem casos semelhantes, sigam páginas em redes sociais (há em outra postagem indicações de sites), isto faz bem. Vejo sempre histórias diferentes, fotos de crianças semelhantes à Dara, adolescentes que são felizes e vivem como todos os outros. Adultos bem sucedidos. Modelos, atletas, músicos, escritores, enfim, pessoas realmente bem-sucedidas em todos os aspectos.

E, acima de tudo, vamos seguir em frente.
Porque TUDO VAI DAR CERTO!


Geane Poteriko (Mãe de Dara)

Presidente da Diretoria Executiva
ASSOCIAÇÃO DAR A MÃO.
31/01/2015

PARA FINALIZAR...


Pela foto "clássica" abaixo (super antiga!) podemos notar que a agenesia não é uma condição tão recente como pensamos!

Fonte Desconhecida



Everybody is different.
Some people´s differences are on the outside
and easier to see then the differences
others have on the inside.

But EVERYBODY has got something
and God doesn't give challenges
to those who can't handle them.

And in what ever your challenge,
is a blessing worth celebrating.

(Lucky Fin Project)


Todo mundo é diferente.
Algumas diferenças das pessoas estão no lado de fora
 e então é mais fácil de ver essas diferenças
do que aquelas que estão no interior.

Mas todo mundo tem algo
e Deus não dá desafios
para aqueles que
não podem lidar com eles.

E algumas vezes o seu desafio,
é uma bênção que merece
ser comemorada.


    AGENESIA - Uma diferença que se vê, mas simplesmente não faz diferença!!!

             (Mãos de Dara - Agenesia na mão direita)


  “Não há limites quando a força de vontade é maior”

"Acima de qualquer limitação existe um ser humano de direitos e deveres,
         uma pessoa com anseios e desejos, com crenças e valores,
                             com gostos, qualidades e defeitos, 
                                  uma pessoa tão interessante
                                      e capaz como você!

                                     (Fernanda Tolomei)


               Um beijo de Dara e Mamãe!  :-)

Geane Poteriko
São João do Ivaí, PR.
31/01/2015

geane.gaps@gmail.com



Google+ Followers

DAR A MÃO: Vídeo do Projeto

Total de visualizações de página

Seguidores

Agenesia de mão: Dara

Agenesia de mão: Dara
Mãos de Dara (Síndrome da Brida Amniótica)

Dara

Dara
Inspiradora da ASSOCIAÇÃO DAR A MÃO

JORNAL DAR A MÃO

JORNAL DAR A MÃO
Notícias, histórias e informações no Jornal Online da ASSOCIAÇÃO DAR A MÃO