ONG E-NABLE - ENABLING THE FUTURE

  • E-Nable é uma Organização sem fins lucrativos americana. 


E-Nable é uma ONG que realiza um trabalho inovador: desenvolve as chamadas mãos biônicas, que são próteses feitas em impressoras 3-D. O mais interessante é que a E-Nable disponibiliza os projetos para serem executados ou modificados por qualquer pessoa que possui impressora 3D e faz a doação das próteses para crianças de todo o mundo. 

Aqui no Brasil já tem trabalhos feitos pelo voluntário paulista Marcelo Botelho (marcelobotelho1986@gmail.com). O coordenador da E-Nable na América Latina é o voluntário Filipe Wiltgen, pelo Google+ é possível acompanhar o trabalho. 

No Brasil há 10 voluntários, e destes 4 são fabricantes (imprimem e montam as próteses).

As mãos biônicas são uma "sensação" entre as crianças, com temas de super herois e cores alegres e bonitas, chamam a atenção. Todas as crianças que receberam ficaram muito felizes. 



  • O vídeo abaixo conta como o voluntário brasileiro Marcelo Botelho se inspirou e fez uma prótese para um menino paulista. Acesse  o Youtube a assista ao vídeo. As legendas são em inglês, mas vale a pena conhecer esta história no Brasil:



PRÓTESES 3D E-NABLE:



ALGUMAS REPORTAGENS SOBRE PRÓTESES 3D


Menina sem dedos ganha prótese feita em impressora 3D por R$ 200 



Super-herói que inspira super-menino. Solidariedade e superação! Menino ganha prótese inspirada em Ben 10.  

Trabalho social feito pelo voluntário brasileiro da E-Nable




Próteses infantis impressas em 3D chegam ao Brasil com baixo custo


Agora é a vez das crianças do Brasil receberem próteses feitas por impressora 3D.

ONG E-nabling the Future disponibiliza o material no mundo todo. Os voluntários produzem modelos com preço bem mais acessível, que podem ser dez vezes mais baratos do que próteses tradicionais. Eles são inspirados em super-heróis. O menino Kevin, de Santo André, São Paulo, ganhou uma prótese com as cores do personagem Ben 10, seu desenho favorito.

Brasil está entre os participantes de ONG que facilita impressão 3D de próteses para crianças (Foto: Arquivo Pessoal/Marcelo Botelho)
(Foto: Reprodução/Marcelo Botelho)

Brasil recebe ajuda de ONG que facilita impressão 3D de próteses.

O principal responsável pela vinda do projeto para o Brasil foi Marcelo Botelho, 29, um dos colaboradores do grupo social.
Ele é estudante de Engenharia Mecânica e baixou gratuitamente um projeto de prótese no site da E-nabling the Future e o imprimiu em 3D.“Apareci em uma matéria de jornal quando imprimi uma prótese Cyborg Beast, que também consegui no site da ONG. Na época, a cuidadora do Kelvin viu a reportagem e me enviou um e-mail pedindo ajuda”, contou Botelho.

Feita de termoplástico ABS, prótese conta com partes de elástico, espuma e até linha de pesca (Foto: Arquivo Pessoal/Marcelo Botelho) 
(Foto: Reproduçãol/Marcelo Botelho)

Prótese é feita de termoplástico ABS, elástico, espuma e linha. 

A grande vantagem dos modelos de próteses disponibilizados pela ONG é o baixo custo de produção. São utilizados materiais mais baratos para a impressão tridimensional, como o termoplástico ABS. As próteses são comercializadas em várias cores. O uso de outros materiais, como plásticos especiais, encarecem mais os modelos, que podem chegar a custar R$ 250.Contudo, a prótese de Kelvin, por exemplo, custou somente R$ 40. Ela foi fabricada com plástico e outros itens, como linha de pesca, velcro, elástico e espuma. Mas, para quem não tem uma impressora 3D disponível, o produto pode sair bem mais caro. Uma empresa especializada pode cobrar mais de R$ 400 somente pela impressão e entrega. Marcelo encomendou peças do exterior para montar sua impressora 3D em casa por R$ 1 mil, porém o equipamento pronto pode chegar à faixa de R$ 5 mil no Brasil.

Brasilieiro montou sua impressora 3D sozinho para criar as próteses (Foto: Arquivo Pessoal/Marcelo Botelho)
(Foto: Reprodução/Marcelo Botelho)

Brasileiro montou sua impressora 3D para criar as próteses




Mais informações sobre as ações da E-nable no Brasil



E-nabling the future (ou E-nable) é  um movimento mundial formado por voluntários de todo planeta: engenheiros, artistas, fisioterapeutas, designers, professores, entusiastas, famílias e pessoas comuns que querem fazer a diferença.

A ideia é  colaborativa e tem como objetivo distribuir conhecimento para a produção de próteses infantis de baixo custo, a partir da tecnologia de impressão 3D.

A plataforma online disponibiliza para download modelos detalhados de próteses que podem ser feitas com poucos recursos e que, além de acessíveis, são funcionais e muito divertidas – sempre inspiradas em super-heróis.

O brasileiro Marcelo Botelho é uma das pessoas engajadas com a causa. Estudante de engenharia mecânica, ele usou o site para ter acesso ao tutorial detalhado da prótese que construiu para o garoto Kelvin. Marcelo, que busca apoio para produzir mais próteses, partiu do modelo “Cyborg Beast” disponível na plataforma, e o adaptou para uma versão inspirada em Ben 10 – herói favorito do menino.

Esperamos que a rede e-Nable ganhe cada vez mais voluntários no país, certamente muitas crianças seriam beneficiadas. Mas para isso o custo da impressão 3D por aqui precisa ficar mais acessível. 




Abaixo algumas imagens pelo mundo de próteses viabilizadas a partir da iniciativa.
Saiba mais e faça parte aqui.
















Menino de 13 anos usa mão biônica criada em impressora 





ONG doa próteses de plástico fabricadas com impressora 3D

 

Missão do grupo é fabricar próteses de plástico e fazer com que elas cheguem a quem precisa.
No Brasil, 20 pessoas já receberam essa doação.


Agora um exemplo de solidariedade que está ajudando quem precisa de uma prótese.
Voluntários de uma ONG internacional fabricam os equipamentos de plástico com uma impressora em 3D.
No Brasil, 20 pessoas já receberam a doação.

O sorriso é de quem está redescobrindo a vida aos nove anos. Ana Luísa nasceu sem um dos braços.
Mas ganhou um novo, de plástico. Brincar de boneca, de bicicleta. Agora ela está craque.
“Agora eu consigo pegar direito as coisas. Eu ganhei minha mão, finalmente.
Eu estava esperando por esse dia há tanto tempo”, diz Ana Luisa, de 9 anos.

E olha que é só a fase de adaptação. Ela recebeu a prótese há menos de um mês.
“Ela está bem criativa, ela quer descobrir coisas novas, tudo ela quer mexer com a mão”, diz Bruna Negrini, mãe da Ana Luísa.

O advogado Paulo Renato perdeu quatro dedos quando trabalhava em uma máquina de ração. Se hoje o advogado do interior de São Paulo toca violão e teclado é por causa das próteses. “Você poder abrir, poder fechar uma porta, você poder fixar a faca junto com o gafo, poder comer como todo mundo te traz uma alegria, um sentimento que não tem explicação", conta.

O Paulo Renato, a Ana Luísa e outras centenas de pessoas no mundo já ganharam a prótese. O Filipe faz parte de uma rede de voluntários que estão espalhados pelo mundo. A missão deles é fabricar essas próteses de plástico e fazer com que elas cheguem a quem precisa. No Brasil, 20 pessoas já receberam essa doação.

As próteses são feitas na casa dele, em uma impressora 3D. Os modelos são padronizados pela ONG americana que criou o projeto. Com fios de plástico, a impressora dá forma às peças que vão montar a prótese. Em meia hora, um dedo fica pronto. A vantagem é o preço: R$ 500, incluindo o material importado e a energia elétrica.

Uma prótese convencional pode custar R$ 100 mil. Por enquanto, os voluntários estão arcando com os custos. Filipe já tinha a impressora 3d quando conheceu o projeto e quis ajudar. “Eu sempre tive interesse em construir dispositivos de auxílio humano. Eu entrei em contato com eles e comecei a ajudá-los”, diz Filipe Wiltgen, voluntário.

No Brasil, a ONG tem 10 voluntários. Quatro são fabricantes, como o Filipe. “É uma emoção muito grande entregar um dispositivo para uma criança e a criança já sair usando e a gente vê como é fácil a gente ajudar os outros. Como é simples ajudar os outros. Basta a gente querer e começar”, conclui o voluntário.







Revista Veja (Edição 2414 - ano 48 - n8 - 25 de Fevereiro de 2015 - pag 74-77).

A reportagem  fala de um menino brasileiro que recebeu a ajuda da e-Nable, e explica como a e-Nable ajuda as pessoas.

Este menino é o Leonardo e o voluntário brasileiro responsável pela construção, montagem e testes da prótese (modelo Raptor Reloaded) foi Octavio Nogueira.

Acima, as imagens são de duas das 4 páginas da reportagem.


FOTOS DE PRÓTESES ENTREGUES PELA E-NABLE









MODELO DE PRÓTESE



Impressão da prótese

Programa para criação da prótese 3D

Impressão em andamento

Modelo de impressora 3D



PROJETOS NO BRASIL LIGADOS À E-NABLE




PROJETO PROTESYS
PROTESYS - Trata-se de um grupo de amigos de Brasília que está tentando usar a tecnologia para ajudar outros amiguinhos mais precisados.

Conexão, Participação e Criação

As propostas da PROTESYS:

- Por meio do projeto e-Nable, conectar brasileiros que precisam de uma prótese e não têm condições de pagar com outros brasileiros que, utilizando suas impressoras 3D, estejam dispostos a colaborar com a impressão e doação de uma prótese de baixo custo.

- Criar e ajudar a manter laboratórios de impressão 3D em parceria com centros de reabilitação, tornando sustentável e participativa a criação de novas próteses.

Pesquisar e desenvolver novas próteses, mecânicas e robóticas, utilizando materiais de baixo custo.

Fomentar iniciativas que possam levar próteses de baixo custo para regiões pouco privilegiadas.

 
As próteses do projeto e-Nable

 

 

 


O e-NABLE é uma rede global de voluntários que estão utilizando 
suas impressoras 3D, habilidades de desenho e tempo livre para 
criar próteses gratuitas para pessoas necessitadas, com o objetivo 
de atender populações carentes ao redor do mundo.

PROJETO MÃO3D




Mao3D é um Programa da UNIFESP que desenvolve próteses de mão feitas por impressão 3D gratuitamente. 

O Programa de Extensão Mão3D é coordenado pela Profa. Dra. Maria Elizete Kunkel da Engenharia Biomédica. É fruto de um convênio entre o Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT) da Universidade Federal de São Paulo e o Centro de Reabilitação Lucy Montoro ambos em São José dos Campos e faz parte da Rede Nacional de Núcleos de Pesquisa em Tecnologia Assistiva.

O Mão3D e tem o objetivo de protetizar e reabilitar crianças e adultos, da Região do Vale do Paraíba, com malformação ou amputação de braços, mãos ou dedos, com próteses feitas por impressão 3D. Este tipo de prótese foi criado por um carpinteiro africano que em 2011 perdeu parte da mão em um acidente de trabalho, e inconformado com sua situação criou um modelo alternativo, mais funcional e de baixo custo. Assim nasceu a e-Nable em 2013, uma comunidade mundial que disponibiliza modelos de próteses de mão para impressão 3D. O Mão3D está adaptando os modelos da e-Nable para que possam ser usados no Brasil. 

As próteses feitas por impressão 3D representam uma esperança para que crianças possam recuperar o membro perdido e ter uma vida mais incluida na sociedade. Até então, as próteses disponíveis no mercado ou pelo Sistema Único de Saude (SUS) não se adaptavem ao uso infantil por serem pesadas, de alto custo e não acompanharem o crescimento de uma criança. Mesmo para adultos as próteses convencionais apresentam uma taxa de rejeição de mais de 90% dos casos. 


Com a colaboração de alunos bolsistas, voluntários e doação de empresas estão sendo criados modelos de próteses funcionais, leves, coloridas, baseadas em super-herois para motivar ainda mais o uso.


(Fonte: Página do Facebook MÃO3D - www.facebook.com/Mao3D)



VÍDEO: Vamos saber mais sobre as próteses de mão feitas por impressão 3D e como elas funcionam. Esta entrevista com a Profa Dra Maria Elizete Kunkel, coordenadora do Programa Mao3D do ICT Unifesp SJC, esclarece muitas dúvidas!
Contato: biomecanica.unifesp@gmail.com



COMO SERÁ O TRABALHO COM PRÓTESES

DA ASSOCIAÇÃO DAR A MÃO?


A ASSOCIAÇÃO DAR A MÃO está em parceria com a PUC-PR, de Curitiba - Projeto da Prof. Lúcia Miyake, com o apoio do Lions Clube Curitiba Batel, para fabricar e doar próteses às crianças que precisam. 

Conheça a proposta deste Projeto acessando a página:




:-)

Parceiros

Parceiros


DAR A MÃO: Vídeo do Projeto

Agenesia de mão: Dara

Agenesia de mão: Dara
Mãos de Dara (Síndrome da Brida Amniótica)

Dara

Dara
Inspiradora da ASSOCIAÇÃO DAR A MÃO

JORNAL DAR A MÃO

JORNAL DAR A MÃO
Notícias, histórias e informações no Jornal Online da ASSOCIAÇÃO DAR A MÃO